segunda-feira, março 05, 2007

O caminho
A vida,
parceiros
de ser...

De ver
o profundo
Existir

Hoje vivo a vida
morte

Destino a percorrer...
Sorte certa
Em cada qual
de nós,

Homem ou Ser?
Eis a eterna dúvida...

Francisco Canelas de Melo

1 comentário:

Conceição Bernardino disse...

Olá,

Povo

Ò povo que trais sem saber
O corpo que cansada da luta não
Pode ver

Ò néscio que não tiveste
Quem a ti te ensinasse
A andar.

Ò triste que caminhas com os
Pés dos outros,
Sem saber no que estás a pisar!

Poema da autoria de LILIANA BARRETO do LIVRO POISEIS II

Desejo-te uma bela semana, na companhia deste belo poema que encantou os sentidos.

Beijinhos ConceiçãoB
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com