segunda-feira, abril 10, 2006

Não sou Poeta
Nem finjo Ser
Escrevo minh´Alma
Sentida numa escrita
minha e para mim...

Finjo dor e
Sofrimento
Para te escrever
Palavras de mim
Dum mundo vivido,
Sonhado e criado,
Num Portugal querido
Pela Fé dum regresso
Esperançado...
Dum Cavalo Branco.

Francisco Canelas de Melo

2 comentários:

Caskinha disse...

Finalmente visitei o teu blog...
Nao te sabia com veia... Gostei mto!

Duarte Petinga disse...

Bem estou abismado com tamanha qualidade poetica! ;) :) Continua amigo Francisco, porque tas mesmo lá! Um abraço! ;)