domingo, abril 02, 2006

Quinta da Regaleira


Dia 1 de Abril, dia das mentiras...e eu que até disse algumas (mas só neste dia) fui com dois grandes Amigos, pela primeira vez a Quinta da Regaleira. Muitas vezes, pensei como seriam aqueles jardins, onde nos levaria a profundeza das grutas, qual a sensação de descer o poço iniciatico e olhar para a Luz que penetra dentro dele....Ontem concretizei!!!

Não o vou descrever...é algo que ficou gravado numa profundidade que só o meu Ser consegue ter acesso! Apenas direi, foi uma viagem no Tempo, ao nosso passado encoberto, por uma nevoa que mais fazia lembrar Avalón...

Visitem...mas não como meros Turistas! Sejam Peregrinos...Sintam a História...É a Nossa....

5 comentários:

DeepBlue disse...

Muitos Parabéns p'lo teu blog, meu bom Irmão.

Fico feliz que tenhas visitado a Quinta da Regaleira.

Lembra-te que depois de desceres o Poço Iniciático, realizando o VITRIOL, deves subir a Torre Iniciática em direcção à Luz! Poço e Torre são uma e a mesma coisa... noite e dia, esquerdo e direito, positivo e negativo... a eterna dualidade que devemos aceitar, viver e apreender neste plano...

Um grande abraço e continua que estás no bom caminho!

SA disse...

o VITRIOL foi muito interessante sim senhor... mas interessante mesmo foi conhecer aquele local com tão grandes e bons amigos.
aquelas energias que dizias sentir, meu caro, elas existem sim!confesso que creio existirem, que sei existirem... mas não são aquelas que movem a minha alma e verdadeiramente a 'animam'.
espero la voltar em breve para explorar melhor aqueles espaços... quiça contigo.
abraço

MaRiA disse...

Já tinha visto e ainda não tinha comentado esta foto... que está lindissima!!!!

Beijinho meu querido!

Lord of Erewhon disse...

Não é nenhum «poço iniciático»; não passa da bizarria de um novo rico. Nada há de esotérico na Quinta da Regaleira, é um lugar aprazível e é tudo.

Francisco Canelas de Melo disse...

Caro Lord of erewhon,

Para si pode não passar de uma bizarria de um novo rico mas não deve deixar de respeitar a opinião dos outros.

Mas pergunto-lhe no mesmo tom, será que sabe o que é esoterismo? Será que sabe ultrapassar a simbólica e unir-se à Obra? Será que sabe o que é a Tradição Primordial?

Posso até afirmar tal como V.ex. (no mesmo tom) se a Regaleira não tem nada de esotérico, então o "lord" não sabe nada de esoterismo!